«Re.Ler», a iniciativa solidária de recolha de livros em Portugal continental

Recientemente Crowd-Recycling supo de la iniciativa altruista que tiene lugar en Portugal, llevando libros para llenar las bibliotecas de Puerto Príncipe. La descubrió a través de su actividad en la Universidad de Évora, cuando una profesora solicitaba libros que no se usasen para que los puedan leer personas que no tengan la oportunidad de comprarlos. Pedimos a Raquel Lucas que nos enviase un escrito sobre esta generosa idea que consiguió movilizar con sus hijas y una amiga durante la pandemia del Covid-19 y aquí tenemos el resultado. Seguidamente nos cuentan la iniciativa que llevan a cabo las dinámicas Maria Raquel Lucas, Augusta Borges, Maria Ventura Lucas y Raquel Lucas. Acompáñanos para saber más sobre esta iniciativa solidaria que busca ayudar creando cultura.

Explican las autoras y dinamizadoras del proyecto «Re.Ler»:

«A Re.Ler é uma iniciativa solidária de recolha de livros em Portugal continental, de todos os tipos, tendo como objectivo a sua cedência à Biblioteca Nacional de São Tomé e ao Governo da Região Autónoma do Príncipe. Surgiu como um projecto familiar durante a quarentena provocada pela pandemia por Covid-19, impulsionada, por um lado, pelo desejo de aumentar a vida útil de um importante  património literário como são os livros, e por outro, dar nova vida a obras que permanecem em estantes a ganhar pó, sem utilidade intelectual ou operacional e que encerram muito conhecimento útil. A RE.LER pretende acima de tudo evitar a eventual e revoltante destruição de livros por falta de armazenamento, de procura, ou de rentabilidade económica, entre outros motivos, quando existem locais do planeta com escassos recursos literários onde os livros doados, sejam novos ou usados, podem servir os seus propósitos essenciais.

O projeto foi fundado por Maria Ventura Lucas, a médica dentista, Raquel Lucas, a professora Maria Raquel Lucas e a Dra. Augusta Borges, residente em São Tomé e uma amiga e apoio local fundamental. A ligação da equipa a São Tomé e Príncipe já existia. Maria Raquel Lucas desde há cerca de cinco anos que está ligada ao projeto que a Universidade de Évora  desenvolve na cidade de São Tomé, tendo leccionado e coordenado distintas edições de cursos de mestrado. Raquel Lucas esteve envolvida em projetos de doação de material de medicina dentária ao hospital da Região Autónoma do Príncipe (RAP). Com a colaboração de Augusta Borges, foi possível efectuar um levantamento das necessidades locais e estabelecer contactos com as instituições relevantes, em particular com o governo da RAP e com a Biblioteca Nacional de São Tomé e Principe. 

A Biblioteca Nacional de São Tomé e Príncipe é a responsável pela coordenação técnica das outras bibliotecas públicas distritais e pela promoção do livro e da leitura no arquipélago. Devido à escassez de obras no seu acervo, nos mais diversos domínios e, pela maioria dos livros doados serem em Português, pareceu adequado à Re.Ler orientar os seus esforços e a cedência das obras a esta instituição e, deste modo, contribuir para que a mesma possa melhorar o serviço eaumentar a possibilidade de contacto das comunidades com a leitura e o acesso ao livro no espaço público. Esta decisão de parceria, foi validada pelo contacto da equipa da Re.Ler com o Director da Biblioteca Nacional de São Tomé e Príncipe, o Dr. Alcindo de Sousa, que atestou a insuficiente disponibilidade de exemplares de livros para fazer face às necessidades da população. Esta parceria foi estendida à RAP, cujo Presidente, o Dr. Filipe Nascimento, acolheu com muita receptividade e se disponibilizou a ajudar a todos os níveis, incluindo o de criar espaços de leitura e de armazenamento dos livros e, de desenvolver esforços para criar e melhorar os hábitos de leitura da população. 

Tendo como bases os princípios de uma economia circular e de reaproveitamento de recursos,  a RE.LER não pretende apenas fazer a entrega dos livros mas, acima de tudo, divulgá-los, através de workshops e outras ações e fomentar os hábitos de leitura em locais de elevada taxa de alfabetização mas poucos recursos literários. Tencionamos implementar os princípios de um desenvolvimento sustentável e de um aproveitamento máximo de recursos, sejam estes técnicos, formativos ou de lazer. 

A RE.LER funciona com base em doações institucionais e de particulares. Conta com o apoio das editoras Devir e Porto Editora,  do Colégio da Nossa Senhora da Assunção na Anadia, da antiga livraria do artista plástico Vitor Caos e de mais de 100 particulares que generosamente tem feito doações.  Desenvolve-se com o apoio de voluntários e de postos de recolha em 8 cidades Portuguesas: Évora, Lisboa, Faro, Beja, Coimbra, Viseu, Porto e Vila Real onde qualquer cidadão solidário pode entregar os seus livros. Para tal basta contactar a RE.LER no instagram (re.ler_livrossolidarios ) ou por email (iniciativareler@gmail.com) e agendar uma recolha ou entrega de livros. São aceites todos os tipos de livros e de todos os idiomas sendo os preferenciais em Português e Inglês , assim como os de índole técnica e infantil-juvenil, por serem os mais necessários. As alocações dos livros doados, que são extensivamente carimbados e catalogados, são feitas com base nas carências específicas identificadas em cada território. 

Durante os meses de maio e junho de 2021, com o apoio de diversos parceiros portugueses e santomenses, a RE.LER angariou e enviou 1.5 toneladas de livros para STP. Em Portugal, destaca-se o AgroTurismo QSF (Quinta da Sagrada Família) na recolha, armazenamento e acondicionamento dos livros e a Adega Ervideira e a família Alvarenga Leal da Costa, no acondicionamento, identificação e transporte dos livros para expedição marítima.  Em STP é de mencionar e agradecer a generosidade de duas organizações, a HBD Príncipe, responsável por grande parte dos projectos de desenvolvimento sustentável na RAP e a SOMEX, que se disponibilizaram a efectuar o transporte marítimo para asduas ilhas. 

A RE.LER não tem prazo previsto de término para a recolha de livros, mantendo-se enquanto as necessidades identificadas persistirem. Mesmo depois destas serem ultrapassadas em STP, outros territórios e horizontes, onde as pessoas possam retirar valor e utilidade de livros doados, estão a ser equacionados, sobretudo noutros países africanos da CPLP, entre os quais, a Guiné Bissau e Cabo Verde. A divulgação da cultura e língua portuguesa e a melhoria das suas capacidades em termos escritos e orais são elementos subjacentes aos objectivos da RE.LER.

Quem estiver em Portugal e tiver livros para doar, não hesite em contactar a RE.LER. Os seus livros fazem a diferença e ajudam-nos a ajudar!»

As autoras principais do projeto são:
Maria Raquel Lucas

Augusta Borges

Maria Ventura Lucas

Raquel Lucas

Recuerda, puedes contactar con ellas por instagram y por e-mail (iniciativareler@gmail.com )

Créditos desta entrada:

Textos em português: Maria Raquel Lucas e as autoras do projeto Re.Ler

Fotos: Maria Raquel Lucas e as autoras do projeto Re.Ler.

Edição no site Crowd-Recycling: María Zozaya.

Texto introdutório: María Zozaya.

Sugestão de cita desta entrada:

María Zozaya (ed.) «RE.LER», a iniciativa solidária de recolha de livros em Portugal continental, Crowd-Recycling, 08-11-2022, ISSN 2444-7285. Disponível em: https://bit.ly/3fOLYlR

Anuncio publicitario

Deja una respuesta

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Salir /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Salir /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Salir /  Cambiar )

Conectando a %s